Irlanda, Austrália ou outro destino?

Irlanda, Austrália ou outro destino?


É  comum vermos pessoas pesquisando opções de intercâmbio para os destinos que permitem trabalhar como Irlanda, Nova Zelândia e Austrália. Quando perguntamos para essas pessoas qual o objetivo da viagem, em 90% dos casos, a resposta é: “quero ser fluente em inglês e o trabalho é só para me manter”. Se você também tem esse plano ou conhece alguém que tenha, não perca esse post.

Acompanhamos muitos egressos de programas de intercâmbio que foram para os destinos clássicos  (Nova Zelândia, Irlanda e Austrália e Canadá) e a sensação costuma ser parecida: a viagem foi ótima, fizeram vários amigos, mas e o inglês?

– O inglês!?

Muitas pessoas voltam de intercâmbios longos (8 meses ou 1 ano) com inglês ainda no nível  upper-intermediate ou pre-advanced. Isso ocorre em função da baixa qualidade e intensidade dos cursos escolhidos e da imersão prejudicada no inglês – muitos brasileiros na escola de destino = você vai falar e ouvir português a metade do tempo.

Mas é claro que você fará diferente!

Apresentaremos nesse post uma alternativa de destino de intercâmbio que acreditamos ser uma excelente escolha para quem quer se desenvolver no inglês de forma intensa, com menor custo e mais rápido que os demais destinos. Esse lugar se chama Filipinas!

Embora apostemos nas Filipinas como um super destino para o seu intercâmbio, o objetivo desse post não é fazer com que você escolha esse país, mas sim promover uma reflexão sobre o real objetivo do seu intercâmbio, sobre o seu orçamento e a duração da sua viagem, para que assim você tome uma decisão consciente.

Então, vamos lá!

No momento de cotar e comparar opções de intercâmbio, você precisa ponderar alguns aspectos superimportantes:

  • Quantidade de brasileiros no destino. Uma quantidade mínima de brasileiros garantirá uma imersão em inglês de verdade. Afinal, se for para conviver com brasileiros e falar português depois da escola, qual a diferença entre fazer aulas no Brasil e lá fora?
  • Custo de vida do país. O custo de vida é o resultado do câmbio (quanto vale o R$ no país de destino) e do poder de compra da moeda local. Vale analisar isso muito bem, pois o custo de vida pode representar mais de 50% do custo da sua viagem, dependendo do tempo que ficar no país.
  • Qualidade e carga-horária do curso. Existem muitas agências e escolas que apresentam um valor superinteressante para intercâmbios de 8 meses ou 1 ano, mas quando analisamos a qualidade do curso e carga horária, vemos que na verdade esse curso é uma grande furada.

Sabemos que a escolha por determinados cursos e destinos se dão por conta da permissão de trabalho ou dos orçamentos apertados dos estudantes. Mas, você já pensou em fazer um intercâmbio mais curto, por consequência mais barato, e estudar a mesma carga-horária que faria nos programas clássicos de intercâmbios (aqueles que são vendidos por 8 meses ou 1 ano)?

É isso mesmo! É possível encurtar o seu intercâmbio, fazer um curso de qualidade e ainda gastar bem menos!

MODO CLÁSSICO: ficar 8 meses ou 1 ano estudando inglês 3 aulas por dia. Esse é  o programa de estudo mais vendido pelas agências no Brasil. Para baratear o custo, todas as aulas são em grupo e as turmas e escolas lotadas de brasileiros. Sem contar no tempo e energia que serão gastos na busca por uma acomodação que caiba no seu bolso, por um trabalho, etc;

NOVA PROPOSTA: diminuir o tempo de intercâmbio e canalizar o foco totalmente para o inglês. Você otimiza o seu intercâmbio em 2, 4 ou 6 meses, no máximo, com um curso personalizado às suas necessidades. Nessa proposta você dedica o seu tempo somente para estudar inglês e se consolidar no idioma (prática), além de se divertir nas horas livres.

Confira essa tabela comparativa para você entender como essas otimizações podem ser feitas no seu intercâmbio:

Se incluirmos todos os gastos do intercâmbio (voo, curso, hospedagem e custo de vida), qual das opções você acha que sairá mais em conta?

Muitas pessoas estão repensando seus intercâmbios para garantir mais efetividade no aprendizado do idioma, reduzir os custos e para não ficar muito tempo fora do mercado de trabalho no Brasil.

Ficou interessado(a)? A equipe da Go to Paradise está preparada para te ajudar a encontrar um programa de intercâmbio alinhado aos seus interesses pessoais e profissionais.